CVA
Centro de Vacinação de Adultos

Calendário básico de vacinação: adolescentes - 2012

Idade

Vacinas

Número de doses

11 a 19 anos

Hepatite B (1)

3 doses em não vacinados => 0, 30 e 180 dias

dT (difteria e tétano, tipo adulto) (2)

3 doses em não vacinados => 0, 30 e 180 dias (e reforço a cada 10 anos)

Febre amarela (3)

1 dose em não vacinados (e reforço a cada 10 anos)

SRC (tríplice viral, MMR) (4)

2 doses em não vacinados => 0 e 30 dias

Observações

1

Os adolescentes que não tiverem comprovação de vacinação contra a hepatite B, devem receber o esquema completo, com 3 doses. A segunda e a terceira doses devem ser aplicadas, respectivamente, 30 e 180 dias após a primeira. Para os que tiverem esquema incompleto (1 ou 2 doses), completar até a terceira dose (não reiniciar o esquema).

2

Os adolescentes com 3 doses ou mais de DTP, DT ou dT, devem receber apenas uma dose (reforço). A partir dai, devem receber uma dose de reforço da dT a cada 10 anos. Em pessoas ferimentos com alto risco para tétano e em gestantes (preferencialmente no sétimo mês), antecipar o reforço com a dT para 5 anos após a última dose. Em gestantes (preferencialmente no sétimo mês) e pessoas ferimentos com alto risco para tétano, antecipar o reforço com a dT para 5 anos após a última dose. O intervalo mínimo entre as doses é de 30 dias. 

3

Adolescentes que residam ou que irão viajar para áreas de risco de febre amarela, no Brasil ou no exterior. A vacina é contraindicada para gestantes e mulheres que estejam amamentando, nos casos de exposição ao risco de contrair febre amarela a avaliação médica é imprescindível. Para não vacinados, em caso de viagem para áreas de risco, inclusive no exterior, a vacina contra febre amarela deve ser feita 10 dias antes da partida. Os reforços devem ser administrados a cada dez anos.

4

O intervalo entre as doses da SRC (tríplice viral, MMR) é de 30 dias. A vacinação é desnecessária para adolescentes que tenham recebido duas doses da SRC, quando comprovadas com o Cartão de Vacinação.

Fonte: Ministério da Saúde, 2012 (modificado).


O Cartão de Vacinação é um documento de comprovação de imunidade. É responsabilidade das Unidades de Saúde emití-lo ou atualizá-lo por ocasião da administração de qualquer vacina. Deve ser guardado junto com documentos de identificação pessoal. É importante que seja apresentado nos atendimentos médicos de rotina e fundamental que esteja disponível  nos casos de acidentes.

Página Principal Primeira Consulta Doenças imunopreveníveis
©CVA
 
Os textos disponíveis no CVA são, exclusivamente, para uso individual. O conteúdo das páginas não pode ser copiado, reproduzido, redistribuído ou reescrito, no todo ou em parte, por qualquer meio, sem  autorização prévia.
Créditos: Cives - Centro de Informação em Saúde para Viajantes